Antigo Testamento

Novo Testamento

PERSONAGENS ANÔNIMOS

Artigos E Curiosidades

FEBE – Romanos 16.1-2

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Preparado pelo Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho
INTRODUÇÃO
Febe surge numa recomendação em Romanos 16.1-2. Isto tem sido entendido como sendo ela a portadora da carta aos romanos. Ela é da Cencréia, um porto de Corinto, onde Paulo estava quando escreveu esta carta. Surge e desaparece aqui. Nada mais se diz sobre ela.  Mas é uma apresentação elogiosa. Por isso, vejamos o que podemos aprender desta irmã do passado.
1. DO BRILHO DA LUA PARA A LUZ DE CRISTO
Os nomes tinham grande significado na época. Febe significa “radiante”, e alude ao brilho da lua. Usava-se para a irradiação da luz da lua (“luar”).  O nome era pagão, usado por gregos adoradores da lua. Provavelmente fora pagã e se convertera ao evangelho. Não adorava mais a Lua (ou se não a adorou, não seguiu a religião dos pais). Adorava “o sol da justiça” (Ml 4.2), Cristo. Irradiava a luz de Cristo: João 8.12 e Mateus 5.14. Primeira lição: a conversão é passar do erro para a verdade. É brilhar. Quem tem a luz de Cristo a irradia.
2. DIACONISA OU SERVA?
É chamada de “serva” ou “diaconisa”. Outras versões trazem “servindo à igreja”. O termo “diaconisa” pode se referir à função diaconal ou apenas que ela trabalhava na igreja. A favor de ser diaconisa, pesa o fato de levar a carta e Paulo pedir hospedagem para ela. Mas o importante: “serva da igreja”. Ser servo de Deus é fácil. “Sirvo a Deus, não aos homens!”, diz o irmão ruim de relacionamento. Servo da igreja. A igreja é maior que nós, e não somos seus donos, mas servos. Além de serva, “protetora”, “ajudadora” ou “tem ajudado”. Era serviçal. Vida cristã é servir, não ser servido. Há os que querem ser servidos, mas não servem. O crente que não serve (não presta serviço) não serve (não presta). Segunda lição: a igreja é um espaço de serviço, e nela servimos tanto Deus como aos irmãos. Resgatemos a autoridade da igreja: nós a servimos, e não nos servimos dela.
CONCLUSÃO – Lições gerais de Febe para nossa vida:
1. A conversão muda a vida da pessoa. O brilho em sua vida era o da lua. Convertida, o brilho passou a ser o de Cristo. Qual o brilho de nossa vida? Artistas de tevê? Pensadores seculares? Ou Cristo? Não podemos continuar sendo as mesmas pessoas. “Não varro o lixo para baixo do tapete”.
2. A compreensão de que a vida cristã é servir, e não buscar benefícios. As pessoas escolhem igreja como quem escolhe uma prestadora de serviços, ao invés de pensarem são chamadas a prestar serviço.
3. Uma marca acentuada de Febe: sua vida beneficiava os irmãos. Nossa vida beneficia alguém? Ou queremos apenas os benefícios da vida cristã?  Somos úteis?
4. Uma marca da vida dos cristãos daquela época: eles se apoiavam, se hospedavam e se ajudavam mutuamente. Suas vidas não eram estanques e a fraternidade não era apertar mãos na hora de um cântico, mas se mostrava em todas as esferas da vida. Somos fraternos fora do culto?
Fonte: www.isaltino.com.br

Esse blog já te ajudou de alguma forma?

Constantemente publicamos estudos bíblicos sobre Personagens Bíblicos, de forma gratuita para seu elevo espíritual. Se em algum momento nosso blog já te ajudou, clique no botão abaixo e faça uma doação de qualquer valor! É simples, rápido e seguro. Através de boleto, transferência bancária ou cartão de crédito. Obrigado!

Um comentário

  1. Boa tarde !
    Estou curioso em saber que foi jovem que correu nu lá no livro de Marcos 14 51 e 52 Quando o guardas vieram prender Jesus

    ResponderExcluir

Últimas Postagens

Postagens Aleatórias

Postagens Mais Lidas