Antigo Testamento

Novo Testamento

PERSONAGENS ANÔNIMOS

Artigos E Curiosidades

Ezequias: revertendo situações

terça-feira, 11 de novembro de 2014



2Reis 18: 29-30.
Houve um rei em Israel chamado Ezequias, cujo nome significa “Jeová Fortalece”e, de fato, era o Senhor quem fortalecia Ezequias. Sua confiança e dependência do Senhor ficaram na história dos grandes reis de Israel. Ezequias era um homem de muita fé, que guardava os mandamentos da lei Mosaica e exortava seu povo a se desviar do pecado e seguir o Senhor, servir o Senhor de todo coração.

Ezequias, rei de Judá, contemporâneo do profeta Isaías, teve de enfrentar uma situação muito difícil: a invasão de seu reino pelo rei da Assíria. Foi afrontado, ridicularizado, descaracterizado em sua autoridade, quando o emissário do rei Senaqueribe, de uma forma humilhante, motivou o povo a desacreditar no seu Deus e em seu governante. Isso nos leva a lembrar que, de certa forma, todos passamos por situações difíceis em nossa vida.
 
 O que você tem feito diante do perigo? Qual sua reação ao constatar o crescimento dos problemas? Como se sente quando rumores do inferno conspiram contra sua paz e sugerem que você não tem mais nenhuma chance? 

Foi justamente o que aconteceu com Rei Ezequias, quando foi afrontado por Senaqueribe, rei da Assíria. Vejamos como reagiu esse homem de Deus que governava Judá, o reino do Sul, e como venceu as afrontas de Senaqueribe, Rei da Assíria. 

Ezequias viveu uma situação inexplicável 
Vez por outra temos de administrar situações controversas e inesperadas. Foi o que aconteceu com o rei Ezequias. O poderoso rei da Assíria, que já havia destruído todas as nações vizinhas, de um momento para outro, resolve conquistar Jerusalém, 2Reis 18: 3. 

Como em uma guerra de propagandas, visando enfraquecer o moral dos exércitos de Judá, envia mensageiros para estimular o povo a não confiar no seu rei.

Usou o rei da Assíria da tática de mostrar aos moradores de Jerusalém que a confiança de outros povos em seus deuses não redundara em nada e não evitara a destruição. Portanto, que não confiassem em seu Deus, pois o exército da Assíria era imbatível, 2Rs 18: 33. 

Vez ou outra, certas situações em nossa vida se tornam inexplicáveis e, mesmo sem sabermos como, temos de enfrentar inimigos poderosos, que vêm com táticas de enfraquecimento contra nossa fé, tentando minar nossas reservas de confiança em Deus, procurando nos passar a ideia de que tudo está perdido. Quero antecipar, enquanto meditamos neste episódio, que a verdade é que, aos que confiam no Senhor, não haverá derrota. Lembra-se de Golias dos filisteus e de Davi do Senhor dos Exércitos? 

Ezequias viveu uma afronta humilhante 
Ezequias foi vítima de insultos e de grandes ameaças. Na perspectiva do emissário do rei da Assíria, a Ezequias não adiantava confiar em Deus, pois Ele não daria livramento. Os deuses de outros povos não os livraram e não seria o Deus de Ezequias que o livraria diante de seu poderoso e cruel exército. 

Geralmente nestas situações controversas, deixamos que argumentos racionais, tais como o medo e a perplexidade, passem a trabalhar a favor do inimigo, limitando-nos e levando-nos a perder a certeza e a confiança de que maior é o que está conosco e não aquele que faz as ameaças.

Infelizmente, por muitas, vezes o inimigo tem-nos ameaçado e nos feito tremer, apenas com suas táticas de propagandas enganosas, baixando nosso moral e nossa confiança em Deus. Entendo que, a despeito das afrontas, não devemos oferecer ao inimigo a oportunidade de nos fazer perplexos e mesmo derrotados por apenas ameaças. 

Devemos sim demonstrar nosso valor, enfrentando com coragem e fé naquele que nos fortalece, que é poderoso para operar um grande livramento, e pode desfazer as táticas do inimigo. 

Ezequias viveu a experiência de um ultimato que foi revertido 

Você está perdido, não há ninguém que possa fazer nada por você. Este era o vaticínio do rei da Assíria em relação ao rei Ezequias.  

Ezequias não se atemorizou. Ameaças e táticas de intimidação não foram suficientes para deter aquele homem que confiava plenamente em seu Deus e tinha créditos espirituais, acumulados e que poderiam ser reivindicados junto ao trono do Todo-poderoso, 2Rs 19: 1. 

Ezequias não cria como Senaqueribe pensava. Ele cria em um Deus poderoso que está acima das afrontas as quais, por mais contundentes que possam parecer, por mais irreversíveis que possam mostrar-se, não são capazes de derrotar o homem que confia plenamente no Senhor, 2Rs 19: 15-19. 

Ezequias não era um rei qualquer, seu povo não era um povo qualquer, que servia um Deus qualquer, Dn 4: 3. 

Conclusão 
Duas forças se confrontaram e o resultado nós já sabemos: Deus reverteu aquela situação em favor de Ezequias. Da mesma forma, em nossas vidas, esse mesmo Deus que já se tem mostrado poderoso em tantas situações pode operar grandes livramentos. Portanto, não se desanime e não se deixe levar pelas ofensas e artimanhas do mal e nem por ameaças de quem possa se mostrar poderoso como Senaqueribe. 

Procure, como fez o rei Ezequias, construir, diariamente, perante Deus, uma vida de compromisso e retidão e, quando surgirem momentos de lutas, como esse, você terá crédito para reivindicar a vitória. E quaisquer situações, por mais inexplicáveis ou inesperadas que possam ser, certamente também serão revertidas.

Autor: José Maurício Pereira
Fonte: http://cristotube.com.br/

Nenhum comentário

Postar um comentário

Últimas Postagens

Postagens Aleatórias

Postagens Mais Lidas