Antigo Testamento

Novo Testamento

PERSONAGENS ANÔNIMOS

Artigos E Curiosidades

JÔNATAS, o amigo de Davi

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

 
Como filho mais velho do belo rei Saul, Jônatas era o herdeiro natural da coroa, se a dinastia de Saul tivesse se consolidado em Israel. Mesmo sem assumir o reino na sucessão de seu pai, Jônatas foi um homem de grandes virtudes e toda a sua história pessoal demonstra isso.

Jônatas significa “o presente de Deus” e, efetivamente, ele fez jus ao significado de seu nome. Quando Saul assumiu o trono de Israel, Jônatas tinha trinta anos e logo se destacou à frente dos exércitos de seu pai. Ele foi um guerreiro valente, de grande força física e habilidade com o arco e a funda, uma espécie de estilingue.

Assim que Davi matou o gigante filisteu Golias, o texto relata que a alma de Jônatas se apegou a Davi, veja: “E sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou, como à sua própria alma.” (1 Samuel 18:1). Foi uma grande amizade feita nos céus e havia um fim proveitoso, como em tudo o que Deus faz que, neste caso, foi salvar a vida de Davi.

Jônatas era um assessor próximo de seu pai e em várias batalhas, a contar da primeira, no segundo ano do reinado de Saul, Jônatas esteve à frente dos exércitos em função da lealdade que inspirava nas tropas, embora não fosse o comandante do exército de seu pai que era Abner, primo do rei Saul.

Certa vez Jônatas, levando apenas seu pajem de armas e sem que seu pai soubesse, foi até a guarnição dos filisteus e matou cerca de vinte homens. Jônatas os derrubava e o pajem, que vinha atrás dele com as armas, ia matando, um a um, ao fio da espada.

Jônatas foi se afastando do pai, na medida em que Saul foi enlouquecendo e cometendo todo tipo de pecado diante de Deus e passou a ser o grande responsável por Saul não conseguir matar o futuro rei de Israel, Davi. Foi assim que Jônatas avisou Davi para fugir da presença de Saul que queria mata-lo e usou para isso um estratagema.

Davi estava preocupado, porque imaginava que sua vida corria risco. Tudo o que Saul fazia, ele comunicava a Jônatas e ele ficou de avisar Davi para fugir, ou voltar a sentar-se à mesa de Saul se não houvesse risco e para isso eles combinaram que o sinal seriam flechas que Jônatas lançaria no campo, como se estivesse praticando pontaria. Se Jônatas dissesse a seu servo que voltasse logo com as flechas lançadas, era sinal de que Saul não queria matar Davi, mas se ele dissesse: vai-te embora, porque o Senhor te deixa ir, então Davi fugiria.

Davi fugiu para salvar a sua vida e só conseguiu por causa de sua amizade com o príncipe Jônatas. A aliança entre Jônatas e Davi não foi apenas pessoal, fruto de uma amizade como tantas outras, mas com suas famílias, veja: “E disse Jônatas a Davi: Vai-te em paz; o que nós temos jurado ambos em nome do Senhor, dizendo: O Senhor seja entre mim e ti, e entre a minha descendência e a tua descendência, seja perpetuamente.” (1 Samuel 20:42).

Jônatas foi fiel ao seu pai até o fim. Em combate contra os filisteus, os filhos de Israel tiveram uma grande derrota e fugiram do inimigo e muitos morreram no monte Gilboa. Os filisteus perseguiram o rei Saul e seus filhos e mataram Jônatas, como também a Abinadabe e Malquisua, seus irmãos. Na mesma batalha os filisteus feriram gravemente a Saul e ele, para não cair vivo nas mãos de seus inimigos, se matou.

Os filisteus cortaram a cabeça de Saul e penduraram seu corpo e de seus três filhos no muro de Bete-Seã e foi preciso alguns homens corajosos resgatar, durante a noite, os corpos dos membros da Casa Real de Israel.

A amizade entre Jônatas e Davi foi um tipo do amor de Jesus por Sua Igreja. Quando Jônatas encontrou com Davi, depois que ele matou Golias e firmou com ele uma aliança perpétua, a primeira coisa que Jônatas fez foi se despojar, se despir de suas vestes de príncipe e entrega-las a Davi, veja: “E Jônatas se despojou da capa que trazia sobre si, e a deu a Davi, como também as suas vestes, até a sua espada, e o seu arco, e o seu cinto.” (1 Samuel 18:4).

Jesus é o Rei da Glória e por amor, para nos resgatar de nossos pecados, Ele se despiu de Sua glória, Ele deixou Suas vestes de Rei para nascer de uma mulher, crescer, se tornar homem e entregar voluntariamente Sua vida na cruz. Assim como Davi fez sua aliança perpétua com Jônatas e esta aliança foi respeitada, mesmo depois da morte de Jônatas, o que se propõe é que você faça sua aliança pessoal com Jesus, aliança eterna, que renderá seus frutos durante toda a sua jornada na terra e no futuro a vida eterna com Deus.

Jônatas teria sido um grande rei de Israel, mas sua trajetória ao trono foi interrompida pelo pecado de seu pai, Saul, que fez o que era mau aos olhos do Senhor e por isso, Deus tomou o reino de suas mãos e o entregou a Davi, cujo coração era segundo o coração de Deus.

Sempre que se menciona o personagem Jônatas, logo nos vem à memória a amizade de Jônatas, sucessor do trono de Israel e Davi, o homem que Deus escolheu para reinar sobre o Seu povo, porém a história de Jônatas não se resume à amizade verdadeira que surgiu entre ele e Davi.

Fonte: sombradoonipotente.blogspot.com.br

Nenhum comentário

Postar um comentário

Últimas Postagens

Postagens Aleatórias

Postagens Mais Lidas