Antigo Testamento

Novo Testamento

PERSONAGENS ANÔNIMOS

Artigos E Curiosidades

Malco - O Servo da Orelha Cortada

terça-feira, 27 de maio de 2014

QUEM FOI O SERVO DO SUMO SACERDOTE CHAMADO MALCO? 
MALCO - Ou Malchus, é a forma helênica do hebraico Meleque, que significa “rei”. Na Bíblia ele é identificado por João como aquele servo do Sumo Sacerdote Caifás que tinha liderado a legião de soldados romanos que foi prender Jesus no Getsêmani.
o Sumo Sacerdote da época de Jesus não era, como no Antigo Testamento, um homem escolhido por Deus. Nessa época, o Sumo Sacerdote era escolhido ou indicado por Herodes, a fim de que o mesmo atendesse aos interesses de Roma, sempre que se tornasse necessário.
O Sumo Sacerdote, tinha, em geral, quatro grupos de servos, chamados de chefes dos sacerdotes. O Comandante do Templo, responsável pelo culto e pelo policiamento no santuário e que substitui o Sumo Sacerdote em caso de necessidade; os chefes das 24 secções semanais; os sete vigilantes do templo e os três tesoureiros. O Comandante do Templo que também tinha uma cadeira no Sinédrio era, na verdade, um vice-sumo sacerdote. Ele detinha também, a função de executar missões reprováveis. A História mostra que todo governante tinha sempre alguém apto para realizar "trabalhos sujos". No caso de Saulo, que foi servo do sumo sacerdote de plantão, nos tempos do cristianismo primitivo, ele mesmo confessa:
Ø Atos 26:10-12 - (...) E, havendo recebido autorização dos principais dos sacerdotes, encerrei muitos dos santos nas prisões; e quando os matavam eu dava o meu voto contra eles. E, castigando-os muitas vezes por todas as sinagogas, os obriguei a blasfemar. E, enfurecido demasiadamente contra eles, até nas cidades estranhas os persegui. Sobre o que, indo então a Damasco, com poder e comissão dos principais dos sacerdotes.
Uma exigência importante para assumir esse tão importante cargo é que a pessoa indicada pelo Sumo Sacerdote, precisava ser sabatinado pelo Sinédrio e para isso precisava preencher os requisitos que a Lei de Moisés apresentava. Entre esses requisitos estava o da perfeição no corpo.
Ø Levítico 21:17 - Fala a Arão, dizendo: Ninguém da tua descendência, nas suas gerações, em que houver algum defeito, se chegará a oferecer o pão do seu Deus.
Ø Levítico 21:21 - Nenhum homem da descendência de Arão, o sacerdote, em quem houver alguma deformidade, se chegará para oferecer as ofertas queimadas do SENHOR; defeito nele há; não se chegará para oferecer o pão do seu Deus.                                 
Nas Leis Cerimoniais estava expresso que todas as vezes que o sacrifício se iniciasse, era necessário que o sacerdote fosse ungido antes de se apresentar perante o altar do Senhor. As partes do corpo do sacerdote que deveriam ser ungidas eram o dedo polegar da mão e do pé direitos e a ponta da orelha direita.
Ø Levítico 14:14 - E o sacerdote tomará do sangue da expiação da culpa, e o porá sobre a ponta da orelha direita daquele que tem de purificar-se e sobre o dedo polegar da sua mão direita, e no dedo polegar do seu pé direito.
Esse servo do Sumo Sacerdote, era, pra todos os efeitos, um sacerdote, uma vez que podia substituir o próprio sumo-pontífice na ausência dele. Portanto, encontramos Malco diante de uma situação crítica no momento em que ele sente a ponta da lâmina da espada de Pedro cortando-lhe a orelha. Perder a orelha, para um sacerdote, era algo inimaginável, ainda mais a orelha direita.
Ø João 18:10 - Então Simão Pedro, que tinha espada, desembainhou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco.
Ainda que estivesse a serviço da maldade do sacerdócio; ainda que sua motivação naquele momento fosse a pior possível; ainda que seu coração tivesse se corrompido levando-o a aceitar essa baixa condição de executar missões reprováveis em nome do Sumo Sacerdote, Malco, todavia acreditava estar a serviço da Obra de Deus. Ele havia dedicado toda a sua vida em função deste sonho, o de ser um sacerdote. Na verdade, Malco era um homem que se achava na multidão errada, defendendo a causa errada, envolvendo-se com pessoas erradas. Ele merecia perder a cabeça, e não apenas a orelha. Antes tivesse deixado a cabeça para ser rachada ao meio do que perder a orelha direita. Sem ela o sonho estava morto e ser sacerdote, certamente era a sua vida, a razão de sua existência.
Jesus viu Malco caído ao chão, atribulado pela ideia de tudo ter acabado ali... Em instantes um filme se passou na mente de Malco, e Jesus assisitiu ao filme... Foi nesse momento que Sua graça se manifestou. Jesus pegou a orelha de Malco, posicionou-a em sua mão e à vista de todos colocou-a no lugar, fazendo aquele implante instantâneo, um verdadeiro milagre, o último milagre de Seu ministério terreno.
Jesus não restituiu apenas a orelha direita de um homem, Jesus restituiu os sonhos. Jesus devolveu a Malco o direito de permanecer no seu posto e tentar chegar aonde ele pretendia e realizar o serviço que ele considerava como uma missão perante o Deus de Israel.
Pois é, Malco. E agora, o que fazer com o homem que você considerava inimigo e lhe restituiu a orelha?
Ficar indiferente?
Isso seria rejeitar a graça. E, rejeitar a graça é uma desgraça.
O que se sucedeu a Malco após este episódio? Como ficou sua consciência? Teria ele se convertido ao Evangelho e se tornado uma testemunha viva do poder de Cristo? Teria ele voltado silencioso e perpetuado seu trabalho sujo à serviço de um sacerdócio reprovado por Deus?
Quantas pessoas nos dias de hoje recebem uma evidência clara do amor e da graça de Jesus; uma segunda chance de vida; uma segunda chance ministerial... Quantos Malcos de nossos dias tiveram suas orelhas restituídas, foram perdoados, foram curados, foram restituídos ao seu posto...
Pilatos continua perguntando ainda hoje: "O que farei então de Jesus, chamado Cristo?" - Mt 27:22 .

Em Cristo, Sandoval Juliano - 08 de outubro de 2012.
Fonte: http://www.sandovaljuliano.com.br/

Nenhum comentário

Postar um comentário

Últimas Postagens

Postagens Aleatórias

Postagens Mais Lidas